Será que vale a pena?

 

Quando eu te conheci as coisas simplesmente foram acontecendo e quando dei por mim eu havia caído direitinho na sua.

Nada foi planejado, o nosso caminho era o mesmo e um fazia companhia para o outro até em casa, era só isso. Nós nos divertíamos juntos e uma das coisas que eu mais valorizo em alguém é a facilidade de fazer outras pessoas rirem e você me fazia rir o trajeto inteiro.

Por vezes um dos dois se fazia de forte, dizendo que as demonstrações de afetos e apelidos carinhosos em relacionamentos eram ridículas e que o melhor relacionamento era aquele em que cada um ficava na sua. Será?

Bom, acho que os dois mudaram de ideia.

Em menos de um mês nós havíamos trocado o número de celular e conversávamos com bastante frequência e, novamente, você me fazia rir. Eu não entendia como alguém pudesse me fazer rir tanto, mas eu, mesmo negando qualquer envolvimento, adorava o fato de você me fazer rir com tanta facilidade.

Sem compromisso nós saímos e naquele dia nós não falamos sobre relacionamentos anteriores e nenhuma desilusão amorosa, algo tinha mudado. No final da noite quando você me deixou no portão da minha casa, eu até tentei não pensar em como aquilo se parecia com uma cena de filme, mas você fez questão de me fazer lembrar quando me roubou um beijo.

E foi aí que eu percebi, eu não tinha apenas uma queda por você, eu tinha um tombo. E eu já estava toda ralada.

E então surgiram inúmeras dúvidas e inseguranças. Será que vale a pena? Eu decidi me afastar aos poucos, pois eu não tinha coragem de pôr um fim no que tínhamos, porque mesmo com tanta insegurança, eu te queria por perto.
Quando você percebeu que eu estava me afastando, você me mostrou que ficarmos juntos era o certo e que nada havia sido por acaso. O destino poderia até ter demorado a cruzar nossos caminhos, mas, aquela era a nossa hora de sermos felizes. E juntos.

E não é que valeu a pena?

24 anos, adora sinceridade e fala o que lhe dá na telha.

Comenta aqui, miga!

O amor não pesa

 

O amor não tem peso, é leve.

Eu sempre tive isso em mente, o amor pode ter o tamanho que for, mas não tem peso. Muito pelo contrário; te leva às alturas.

O amor não te cega, não te deixa pra baixo e não te faz sentir como se estivesse empurrando apenas com a barriga ou com um peso em sua vida. Ele não te deixa com dúvidas, não te faz questionar se está realmente na direção certa. O amor te faz enxergar tudo ao seu redor mais lindo, te deixa sempre confiante e te completa do jeito que é.

Do jeito que tem de ser; leve.

Se você acha que sente amor por outro alguém, mas esse amor não te proporciona todas as coisas boas que o amor de verdade faz, talvez não seja amor. Talvez não tenha amor. Eu sei, nem sempre é fácil, às vezes o amor tem lá suas dificuldades, mas garanto que há um propósito pra tudo isso; o amadurecimento. Mas não confunda esses obstáculos com um não amor.

Não tente fazer parecer que uma simples paixão é amor, só porque você acha que tem que ser amor. O amor vai muito além da paixão. A paixão é passageira e o amor é duradouro, claro, leve e tranquilo.

Amor que é amor é simples.

24 anos, adora sinceridade e fala o que lhe dá na telha.

Comenta aqui, miga!

Eu não te amo mais

 

É exatamente isso o que você acabou de ler: Eu não te amo mais.

Desde que nos conhecemos eu tive a sensação de que a cada dia eu me apaixonava um pouquinho mais por você e mesmo achando isso improvável pelo meu histórico nada amoroso da minha vida nenhum pouco romântica, eu estava sim perdidamente apaixonada por você.

E por mais frustrante que isso parecesse pra mim, pois nunca havia me acontecido algo do tipo antes, eu não desisti de você, eu me permite sentir isso. Era algo novo, um sentimento intenso e único.

Era amor. 

Antes de trocarmos o famoso eu te amo eu já sabia o que estava acontecendo, no início pensei que o mundo ao meu redor havia mudado, até que percebi que quem havia mudado na verdade era eu porque eu estava ir-re-vo-ga-vel-men-te, per-di-da-men-te e his-te-ri-ca-men-te apaixonada por você. Eu te amava.

É engraçado como enxergamos as coisas ao nosso redor de outra forma quando estamos apaixonados, né? Como quando você começa a usar óculos ou troca seus óculos depois de um ano usando as mesmas lentes: você enxerga tudo com mais cor, mais vida e muito mais bonito. Há quem diga que o amor é cego, mas cá entre nós, ele nos faz enxergar as coisas com mais amor e mais leveza.

Outro dia me peguei tentando entender o que me fazia te amar e cheguei a conclusão de que eu não tinha como te amar mais, pois você já tinha me mostrado todos os motivos pelos quais vale a pena amar você. Então não, eu não te amo mais a cada dia, eu já te amo o suficiente e a cada dia que passa esse amor é cultivado aqui dentro com os nossos momentos e pequenos gestos de amor e cumplicidade do nosso relacionamento.

Amor, eu já te amo o suficiente pra vida inteira.

24 anos, adora sinceridade e fala o que lhe dá na telha.

Comenta aqui, miga!