Quem eu era antes de você

MJO5HX4V34

Eu preciso de um tempo pra mim.

Tantas coisas sobre mim que eu já não me lembro mais, pois hoje eu vivo de você e do que construímos até aqui. Mas hoje eu decidi pensar um pouquinho mais em mim.

Você pode achar egoísmo da minha parte, mas eu preciso lembrar quem eu era antes de você.

Eu amo quem nós somos juntos, eu amo essa coisa que nós temos de olharmos na mesma direção. Tudo o que planejamos até aqui e passamos, eu sou grata por tudo isso e por você ter me feito enxergar um mundo melhor. Você me fez acreditar que ainda existe bondade no mundo e que as pessoas ainda sabem amar.

Você me ensinou a amar.

Mas hoje eu acordei me questionando: quem eu sou? E essa dúvida não é uma crise existencial, pois eu já passei dessa fase. Eu só preciso lembrar quem eu era antes de você ter entrado na minha vida, no momento em que eu deixei de ser só eu e passei a ser nós.

Até ontem eu pensava como nós, mas e antes de você? Eu não consigo me lembrar como é pensar em mim sem que você esteja no meio. Qualquer decisão que eu tome é relacionado a nós dois.

Hoje eu acordei decidida a me lembrar das coisas que eu gostava, eu quero me sentir dona de mim e fazer tudo por mim. Não se sinta culpado por isso, eu só preciso desse tempo pra matar a saudade de quem eu era.

E eu vou voltar pra você.

Mas hoje eu só quero focar em mim.

 

 

23 anos, adora sinceridade e fala o que lhe dá na telha.
Comenta aqui, miga!

Você vive ou sobrevive?

Um dia desses eu me questionei sobre algo que jamais havia parado para pensar: eu estou vivendo ou sobrevivendo? 

Infelizmente a resposta não é a que eu gostaria que fosse, eu tenho sobrevivido a literalmente tudo. A rotina, o trabalho, os ônibus lotados, as chuvas não previstas pela previsão e as contas que nunca diminuem.

Os últimos anos têm sido assim; pouco tempo e quando eu tenho tempo, eu não tenho vontade, pois me sinto muito cansada. Afinal, o sentido da vida não é viver? Foi aí que eu percebi que eu não tenho vivido, não tenho aproveitado as oportunidades e muito menos tenho ido atrás de novas oportunidades.

Eu me sinto cansada.

E isso não é só em relação ao cansaço dessa rotina de todos os dias: acordar cedo para ir trabalhar e chegar tarde em casa sem tempo para nada, isso tem a ver comigo, com o que eu quero, quem eu sou e o que me faz feliz. Eu não me sinto feliz apenas sobrevivendo.

Eu tenho como mudar isso?

Essa é a pergunta mais importante. Tenho inúmeras possibilidades, mas o medo insiste em me rondar. Será que vale a pena agir sem pensar duas vezes, aceitar novos desafios e enfrentar os medos? Sempre preferi me arrepender de fazer algo do que ficar me perguntando: E se? Acho que ta na hora de fazer algo pra mudar, eu quero começar a viver!

E você, tem vivido ou sobrevivido?

23 anos, adora sinceridade e fala o que lhe dá na telha.
Comenta aqui, miga!

A maior mentira de todos os tempos: “Tô bem”

Eu sei, você sabe, que na maioria das vezes em que alguém pergunta se estamos bem, pra não ter que dar uma palestra sobre os nossos problemas, nós respondemos que estamos bem. Mas, no fundo temos vontade mesmo de responder que não, afinal, quem gosta de guardar coisas que fazem mal? Não é mesmo? Mas, a pessoa que perguntou nem sempre está interessada em saber se de fato você está bem, talvez ela tenha sido apenas educada ao perguntar se você está bem.

Já pensei em mil formas de não guardar as coisas que me incomodam, porque se elas acumulam, uma hora você não suporta o peso de todas as coisas e simplesmente explode. O que não é nada saudável pra você e ainda há uma grande chance de você acabar descontando em alguém que não tem nada a ver com o seu problema.

O único jeito que encontrei de não precisar tentar dar um sorriso convincente e respirar fundo toda vez que alguém perguntava: “E aí, tudo bem?”, foi começando a ser mais positiva, pensando que tudo o que acontece tem um porquê e isso pode fazer sentido mais pra frente, onde tudo vai se encaixar. Todos temos problemas, grandes ou pequenos, significativos pra alguns e pra outros nem tanto, mas, não deixam de ser um problema exclusivamente nosso e a forma como vamos lidar com isso depende totalmente de nós mesmos!

23 anos, adora sinceridade e fala o que lhe dá na telha.
Comenta aqui, miga!