O primeiro “eu te amo”

Quando voltei para o quarto Rômulo parecia estar bem a vontade sentado em minha cama. Sorri ao lembrar da primeira vez em que ele esteve em meu quarto.
– o que foi? – Rômulo perguntou sem entender o porquê do meu sorriso.
– nada – balancei a cabeça negativamente.
Sentei-me por entre suas pernas e deitei minhas costas sobre o seu peito.
Ali era o único lugar que eu desejava estar.
Os últimos meses se resumiam a isso: nós, mas ainda nós não éramos nós, éramos eu e ele curtindo aquele momento.
Ficamos em silêncio enquanto ele acariciava delicadamente meus braços que descansavam sobre o seu corpo. Eu adorava o fato de ficarmos em silêncio curtindo um ao outro, sem nos sentirmos pressionados a conversar.
Decidi interromper o carinho para segurar suas mãos, elas eram grandes e eu adorava compará-las as minhas. Senti que suas mãos estavam geladas e suadas. Estranhei, pois suas mãos sempre estavam quentes.
– você ta bem? – perguntei preocupada.
– tô – ele respondeu rapidamente.
O tom de sua voz não havia me convencido.
Entrelacei nossos dedos e segurei suas mãos com força.
– suas mãos não param de suar, você tem certeza que ta bem? – o questionei novamente.
– é que eu quero te falar uma coisa… – ele hesitou.
Mil coisas passaram em minha mente em menos de 10 segundos e uma delas era: “Eu não quero mais”.
Agora eu estava suando frio, senti que meu coração iria sair pela boca a qualquer momento.
Respirei fundo e decidi encorajá-lo a falar de uma vez.
– pode falar.
Fechei meus olhos e os apertei esperando ouvir da sua boca o que eu tanto temia.
Foram os 5 segundos mais longos da minha vida.
– eu te amo – ele disse, sua voz era firme.
Meus olhos agora estavam arregalados, eu não sabia o que dizer. Eu tenho que retribuir o eu te amo? Eu ainda não estou pronta! Mas eu…
Sem pensar me virei para ele e lhe roubei um beijo, dois ou três…
Tive vontade de dizer que o amava, mas toda vez que eu pensava em interromper o beijo e dizer o que eu sentia, eu simplesmente continuava a beijá-lo. Não era tão simples como nos filmes de romance.
E agora?

23 anos, adora sinceridade e fala o que lhe dá na telha.

Talvez cê curta

72 Comentários

  1. Adorei!
    Pareceu muito com o primeiro Eu te amo do meu “hoje” noivo!!
    Eu tbm não estava pronta para responder “eu tbm” então simplesmente o beijei!!
    Mas meu primeiro “eu te amo” para ele foi bem legal e ele ficou tão feliz 🙂
    Escrevi um poema pra ele e no final escreve “Aishiteru” ele ficou confuso com a palavra que estava escrita em japones, e me perguntou, “O que é Aishiteru?” eu respondi .. “Eu te amo” e ele ficou até emocionado!!
    Amei amei flor, me trouxe boas lembranças ! Beijinhos
    Taty
    http://www.tatycamposblog.com

  2. Na imaginação as coisas sempre parecem mais simples, ou quando vemos num filme, conseguimos pensar naquilo mil vezes, mas na hora de por em prática, é tudo muito complicado, tem essa barreira chamada realidade, que é muito crua e difícil, né? haha Bem bacana o texto 😀


    Beijos
    Brilho de Aluguel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *