O primeiro não

MFQ5MVE2HL

Desde novinhos nossos pais tentam nos ensinar algo, mas, como somos apenas crianças não aceitamos e na maioria das vezes resistimos aos bobos não’s que eles nos dão.

Quem nunca foi ao mercado com os pais, pediu uma bala e levou um não? Poxa, mas era só uma bala! ?. É o que pensamos na hora, ok, ok! Confesso que eu ficava por algumas horas emburrada pensando em como meus pais não me amavam e não se importavam comigo, só pelo fato deles terem negado uma simples bala que não custaria nem R$0,05 (naquela época, detalhe!).

Mas, muitas vezes, muitas coisas que eu desejei e pedi e levei um doloroso não, se eu questionasse o porquê do não, a resposta era imediata, quase que automática, talvez eles tivessem até combinado de usar essa frase: “quando você crescer, você vai entender” e eu rebatia: “mas vai demorar!”. Engraçadinha? Talvez, mas eu não fazia ideia do que me aguardava!

Hoje, com meus vinte e dois anos completos e bem vividos, diga-se de passagem, eu aprendi que aqueles não’s eram bobos, não eram nada comparados aos não’s que eu colecionei até agora e eu sei que muitos deles virão, mas, de alguma forma eles sempre me surpreendem e aquela frase surge na minha cabeça: “quando você crescer, você vai entender“.

Cada não que você levou dos seus pais e ficou chateado, se sentindo injustiçado, acredite, ele tinha motivo. Eles estavam tentando te preparar para algo chamado: vida e em algum momento da sua vida, eles não poderiam te proteger de um não e eles sabiam disso. Sim, eu sei, o primeiro não que você levou da vida foi completamente diferente daqueles não’s que os seus pais te deram, mas, e se eles nunca te negassem nada? Se eles fizessem todas as suas vontades? Como você reagiria ao primeiro não?

É claro que na vida há inúmeros não’s colecionáveis: empregos, relacionamentos etc. Mas, você tem que aprender com cada não e não deixar que eles te façam perder o chão, afinal, seus pais não te negaram tantas coisas pra você não ser forte e não saber encarar isso, né?!

O não de hoje é fruto de um futuro com muitas experiências, procure aproveitar cada não e aprender com eles a dar o melhor de você!

23 anos, adora sinceridade e fala o que lhe dá na telha.

Talvez cê curta

130 Comentários

  1. Maria, você sabe de tudo mesmo *.* amei o texto e lembrei de alguns não’s que meus pais me deram e eles me fizeram quem sou hoje e sim, tenho orgulho de mim. E de ter pais tão sábios, mesmo com alguns defeitos que todos tem. Você escreve muito bem e teu blog é lindo. <3

  2. Super curtir o texto! Realmente tem uns não que nos magoa demais (principalmente nesse mundo da blogosfera) mas sabe uma coisa que aprendi, que “NÃO” é sempre um livramento de algo, que Deus livrou, pois se fosse um sim, você poderia quebrar a cara mais pra frente, poderia ter dado certo e vc ficar soberbo, então um não é sempre um não, as vezes doi e as vezes deixamos pra lá.. mas uma coisa tenho certeza, um NÃO é sempre um aprendizado !!
    Amei
    beijos
    Taty
    http://www.tatycamposblog.com/

  3. Adorei o texto e super concordo, tanto que a educação que dou a Lara também exige que alguns nãos sejam ditos, porque hoje que cresci admito que foi uma das melhores coisas que eles fizeram por mim quanto formação pessoal. Senão a melhor.

    Beijos.

    1. Que bacana, Bru! Claro que como mãe eu acabaria mimando um tiquinho meu filho, mas, tudo tem limites e é bom você impor isso enquanto ele é novo, né?! Isso ajuda muito no crescimento dele! Beijo <3

  4. Ah, mas que texto maravilhoso e completamente verdadeiro. Recebi vários não em casa também e, apesar de ficar com raiva, fui deixando passar. Hoje, morando sozinha e cuidando da minha vida, com uma filha, um cachorro e mil empregos, entendo que os nãos foram necessários para eu aprender a continuar caminhando e que, embora a gente não entenda, a gente já nasce com o não.

    1. Sam, nós já temos o não, né? Temos que tentar o sim! E a vida é feita disso: de oportunidades e os nãos são necessários para amadurecermos.

  5. Com certeza, Sté! Um ‘não’ da vida é uma porta para um sim. Uma abdicação é uma porta para um ganho mais completo, para a liberdade. Não significa que devemos desistir no primeiro ‘pause’ ou nos render a aceitações rasas, devemos sim empurrar, buscar, depreender, prosseguir no que achamos correto e no que ainda faz parte do que caçamos, mas acima de tudo: é preciso lembrar de ficar mais forte, de aproveitar as brechas, de buscar as soluções dadas pelos ‘nãos’ mais do que nos ganhos. O problema é sempre uma abertura de resposta.

    http://www.semquases.com

  6. Oi Sté!
    Nossa…isso faz tanto sentido, né?
    A gente não entende os “nãos” e não se acostuma com eles JAMAIS. Mas a diferença é que aprendemos a lidar, contornar a situação, tentar de novo e conseguir outra coisa de outra forma.

    Mas os nãos que nossos pais nos ensinam não são apenas para aprendermos as convenções sociais. Eles são mesmo por proteção. Nos protegem de sermos adultos banguelos por causa daquela balinha de R$ 0,05, por exemplo.

    Achei lindo seu post.
    :*

  7. Que lindo seu texto, também tenho 22 anos e hoje entendo o valor dos “nãos” que meus pais me falavam. Isso foi muito importante para que eu crescesse como ser humano e entendesse que o mundo não gira em torno do meu umbigo. Hoje posso dizer que sou uma mulher muito mais forte e independente e que não é qualquer não que pode me derrubar 🙂
    Beijos,
    #fiquerosa

    Fique Rosa | Meu Canal YT

  8. Adorei o texto, Sté! Nossos pais até tentam nos preparar pra vida, né? Mas os não’s que a gente recebe dela às vezes são tão barra pesada que mesmo assim a pancada é grande demais xD Mas cada não que a gente recebe, até os menores, são importantes pra fazer a gente crescer. Nós temos é que aprender a aprender com eles.

    Um beijão!
    Heeey, Maria! | Fanpage

  9. Ótimo texto, Sté! Aqueles “não” bobos dos nossos pais realmente não são nada comparados aos outros que recebemos com o passar do tempo, né? Mas quando a gente é criança não entende nada e quando adolescente tudo parece o fim do mundo, hahaha! Como éramos bobos, hahah!

    Beijo! ♥

  10. Só li verdades! Foi cada não na infância que eu tinha vontade de me rebelar e fazer fiasco toda hora, mas agora eu consigo entender o motivo de toda aquela negação, sejam elas simples, como não ganhar aquele doce ou os mais extremos, como não poder ir no show de rock aos 13 anos, haha.
    Tudo que a gente faz tem um motivo e todos os não’s que eu recebi de pessoas que me amavam eu sei, hoje, que preciso agradecê-los por ter o feito. Se a vida fosse feita apenas de sim eu aposto que não haveria dificuldades, e de forma alguma a falta de dificuldades é uma coisa boa.

    Abraço,
    milenaschabat.blogspot.com

  11. que texto!!!! e sim, os não só vão ficando mais desafiadores com o passar dos anos ne? ainda bem que mesmo sendo mais dificil ouvir, com o tempo a gente passar a saber evoluir com eles 😀

    beeeijo

  12. É uma reflexão muito bonita, Sté. Eu certamente recebi mais “nãos” do que as minhas irmãs e posso dizer que às vezes penso que sou mais matura que elas por conta disso. Sou bem teimosa e aprendi a abaixar a cabeça para alguns “nãos” e continuar a persistir em outros. A vida é assim: às vezes devemos aceitar algumas coisas e jamais desistir de outras.

  13. Amei seu texto! Os “nãos” da vida são fundamentais pro nosso amadurecimento e crescimento, é doloroso na hora, mas depois vemos o quanto aprendemos com eles.
    Beijos

  14. Acredito que um “Não” é sempre importante receber, pois maturidade, sucesso, vem de muitos nãos da vida!

    Te convido pra visitar o meu blog:
    Blog: http://dentrodamochila.blogspot.com.br/
    Página do Facebook: https://www.facebook.com/dentrodamochila

    OBS: Estou criando um grupo no whatsapp sobre blogs, para tirarmos dúvidas,
    dicas, e até mesmo divulgar, mas o principal motivo é conversar e compartilhar conhecimento sobre blog.
    Caso queira participar, mande um e-mail com o número do seu telefone, nome do blog
    para: dentrodamochila@outlook.com

  15. Ontem mesmo tive uma pequena briga com meu pai por culpa desses não’s. Tenho 15 anos e eu juro que nunca parei pra refletir muito nisso, acho que depois de ler esse seu texto vou reagir aos não’s de uma maneira diferente, invés de agir como se estivesse perdendo algo e começar a reclamar eu vou TENTAR aceitar e bola pra frente.

    http://orbitalunaar.blogspot.com.br | Visita? :3

  16. Olá, receber um não nunca foi fácil 🙁 acho que em nenhuma época da vida a gente consegue aceitar 100%, mas sim, essas experiências difíceis nos ajudam muito a conseguir lidar melhor.
    gostei muito do seu texto, me fez refletir!

    Beijos

  17. Hoje, pelo valor, ganhar uma bala é uma grande demonstração de amor! ahahahaha
    Adorei o Post Sté, só Deus sabe o nãos que teremos pela frente, é preciso ser forte sempre e saber interpreta-los!
    Beijos

  18. Ai, eu agradeço muito por todos os ”não’s” que recebi do meu pai e da minha mãe. Hoje eu agradeço! hahaha na época eu realmente fiquei com raiva. Gostei muito do que você escreveu, nós só conseguimos entender quando atingimos determinada idade e acho que tudo o que não acontece agora, só vamos entender lá na frente.

    Beijos,
    rodoviadezenove.com.br

    1. Basicamente tudo é assim, quando somos mais novos, queremos tudo pra já, agora! E não temos paciência, depois de uns anos começamos a entender, é como se fosse um quebra-cabeça!

  19. Levar um não é triiiste e a conforme vamos crescendo, recebe-los se torna cada vez pior.
    Mas faz parte da vida, do nosso amadurecimento e às vezes, de quem somos.
    Adorei o texto!
    Beijo

  20. Ah se eu tivesse aprendido o “não” antes de “crescer”, hahaha! Eu estaria mais consciente das coisas da vida agora. Não ficaria chateada facilmente, iria encarar o “não” apenas como uma resposta simples. Porque é como dizem, o “sim” você já tem, então o máximo que pode receber é um “não”, uma palavra simples de 3 letrinhas e que não são nada perto do que você realmente quer alcançar. Agora eu já aprendi que cada “não” que recebo é para um futuro mais cuidadoso em todos os sentidos. Enfim, adorei o post!

    Beijos!

  21. Nossa Sté, quantas vezes já fiquei emburrada por causa dos nãos que recebia. Sempre fui de ficar emburrada. (vergonha de mim! >.< hahaha) Ótimo texto!!!
    Beijinhos ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *