O amor não dói

O amor é tão simples quanto a tabuada de cinco. Não há mistério algum quando você encontra alguém que faça toda aquela baboseira sobre o amor fazer sentido. E quem sou eu pra falar isso?

A garota que encontrou o cara certo.

Bom, você aí do outro lado da tela deve estar rindo de mim e eu não te culpo por isso, afinal, eu já fui você. E sabe o que é mais legal nisso tudo? Eu sei que você vai encontrar alguém tão legal quanto quem eu encontrei.

Às vezes a gente procura demais e encontra o que não deveria jamais ter sido encontrado. Mas, eu sou dessas que acha que tudo acontece por um motivo e todas as pessoas que passaram pela minha vida foram pontes pra eu chegar até quem eu cheguei.

E quando a gente não procura, a gente se esbarra. Em qualquer esquina, em qualquer padaria…

Eu até acho que muitas vezes eu não estava pronta pra sentir o amor e se ele tivesse aparecido antes, bem, eu poderia não ter me saído bem. Não que eu tenha me saído bem, mas, pelo menos eu o convenci de que eu estava pronta para sentir.

E eu me permiti.

Quando você sente que é o certo a se fazer, você se permite. Você não cria limites, não inventa barreiras do tipo: “eu não vou me apegar”. Simplesmente se deixa levar sem pensar muito. Sentir é o suficiente.

O amor não é a dor que só se ouve falar por aí. Se há dor, não é amor.

Comenta aqui, miga!

Para assistir: Perfeita é a mãe! (Bad Moms)

Amy tem um bom casamento e sucesso na carreira. Aparentemente, sua vida é perfeita. Porém, ela acaba se cansando das obrigações e do estresse do dia a dia, e, em companhia de três mulheres que vivem a mesma situação, vai em busca de sua liberdade.

Hello girls! Neste final de semana enquanto pintava minhas unhas resolvi colocar um filme para rodar na Netflix e escolhi o filme Perfeita é a mãe! e o filme não me desapontou nenhum pouquinho! O filme já tinha me chamado atenção por causa da Mila Kunis e da Kristen Bell e passei um bom tempo apenas namorando ele na netflix até ter um tempinho para assisti-lo.

O filme mostra a realidade de ser mãe: não é fácil. Mesmo que eu não seja mãe, eu cresci vendo minha mãe sendo mãe e pai ao mesmo tempo e o filme conseguiu passar exatamente o que é isso. Ninguém é perfeito e as mães muito menos né? Cada mãe tem uma forma de educar o seu filho e no filme essas mães tentam quebrar essa imagem de que mãe é obrigada a fazer os dois papeis e de que há um padrão para educação.

Afinal, as mães também merecem um descanso né? Além da mensagem maravilhosa que esse filme passa pra gente ele é super divertido e eu ri demais assistindo!

O filme é perfeito pra quem quer dar boas risadas! 

 

 

Comenta aqui, miga!

Maria leu: A breve segunda vida de Bree Tanner

Sinope: Bree mal se recorda da vida que tinha antes de descobrir seus sentidos extremamente aguçados, os reflexos sobre-humanos da insaciável sede de sangue… Antes de ser uma vampira.

O que ela sabe é que a rotina em um bande de recém-criados é de poucas certezas, e de ainda menos regras: fique alerta, não chame atenção para si mesmo e, acima de tudo, volte para casa antes do nascer do sol, ou será destruído. O que ela não sabe: seu tempo como imortal está se esgotando. Depressa.

Bree encontra em Diego um amigo inesperado, outro jovem vampiro atormentado pelas dúvidas a respeito do monstro que os criou – alguém que conhecem simplesmente por Ela. Quando os dois percebem que são apenas peões em um jogo cujas proporções jamais imaginariam, é preciso descobrir em que acreditar. Mas se tudo o que você sabe sobre sua espécie é uma farsa, onde estará a verdade?

Em uma trama que combina horror, mistério e romance, Stephenie Meyer mergulha na trajetória de devastação do bando de recém-criados enquanto eles se preparam para o confronto definitivo.

Hey girls! Alguém aí leu a saga Crepúsculo? Ou assistiu aos filmes? O livro que eu li nesse último sábado (sim, eu li em apenas três horas!), conta a breve trajetória de Bree, uma recém-criada. Essa personagem teve uma breve participação, mas muito breve mesmo, em Eclipse. Ela aparece lá no finalzinho quando os Volturi aparecem pra se certificarem de que os Cullens foram pegos de surpresa pelos recém-criados de Riley a mandato de Victoria.

Como o nome do livro já diz: Breve segunda vida, infelizmente essa personagem não teve uma longa vida, tanto como humana quanto como vampira. Eu lembro que fiquei muito curiosa a respeito desta personagem, pois ela não demonstrava ser como os outros recém-criados. E eu só descobri que tinha um livro sobre ela na semana passada, quando uma colega de trabalho comentou comigo a respeito do livro.

O livro mostra como é a vida de um recém-criado, mas, um recém-criado limitado. Pois Riley estava no comando do bando. Nenhum deles sabia ao certo do que se tratava e no desenrolar da história Bree acaba descobrindo o objetivo e todas as mentiras envolvidas.

O livro contém apenas 190 páginas, a leitura é bem simples e você acaba devorando ele sem perceber.

Eu o recomendo pra quem já leu toda a saga ou assistiu aos filmes e tem curiosidade de saber um pouquinho mais sobre esta personagem! 

Comenta aqui, miga!