10 coisas que eu aprendi assistindo How I Met Your Mother

How I Met Your Mother foi uma daquelas séries que eu comecei a assistir com receio, pois eu tinha recém-assistido Friends e, talvez vocês não saibam, mas a maior parte das pessoas que amam Friends não curtem muito HIMYM.

Eu, amante de Friends, descobri que isso tudo não passa de um mito! Dá pra amar as duas séries da mesma forma, sim! Bom, cada série tem suas particularidades, né? E claro, algumas semelhanças óbvias, mas como boa amante de séries, tem um grande espaço dentro do meu coraçãozinho pra amar as duas séries!
Então eu resolvi fazer uma lista das coisas que eu aprendi com HIMYM, porque querendo ou não a gente sempre acaba aprendendo alguma coisa com a série!

1. Nada de bom acontece depois das 2h da manhã


A mãe do Ted já dizia: “Depois das 2 da manhã, apenas vá dormir. As decisões tomadas depois desse horário são decisões erradas.”

2. The Naked Man funciona em 2 a cada 3 tentativas


Cá entre nós, se você saísse com um cara e ele te surpreendesse nu na sua sala, você ficaria com ele? Bom, segundo a série, 2 a cada 3 mulheres acabam cedendo aos encantos! Haha

3. Se beber, não faça uma tatuagem


Você pode se arrepender e muito no dia seguinte! Hahah

4. Abrir um bar com um amigo pode não ser a melhor ideia


Ted e Barney sabem muito bem do que eu estou falando :p

5. Há um tipo de High Five para cada ocasião


Sabe o “toca aqui’? Então, Barney ensina ao longo dessas 9 temporadas inúmeros tipos de High Five! Inclusive o “self five” como mostra aí no gif! Hilário, apenas! :p

6. Homens também podem beber bebidas consideradas como “bebidas para mulheres”


Homens adoram as bebidas cor-de-rosa e enfeitadas que nós bebemos, acredite!

7. Amigo que é amigo faz intervenção!


Se algum deles está pisando na bola ou eles acham que alguém passou dos limites em alguma situação/escolha, eles fazem uma intervenção. Na intervenção cada um faz uma carta com os motivos pelos quais a pessoa deveria repensar. Eu concordo com a intervenção, amigo que é amigo sempre dá um sacode na gente quando acha que passamos do limite, né?!

8. Teoria da azeitona não funciona com todos os casais


Nessa teoria para o relacionamento dar certo um tem que gostar de azeitona e o outro não, para que os dois não disputem a azeitona da pizza. Mas na verdade, Marshall finge que não gosta e mesmo depois de Lily descobrir a verdade, o relacionamento não ficou abalado! That’s love, bitch!

9. Aceite todos os desafios


Mesmo que você não tenha sido desafiado, né Barney?!

10. Nada será LEGENDARY se os seus amigos não estiverem com você!


O que seria da sua vida sem amigos? Se acontecesse algo lendário e você não tivesse alguém para compartilhar, não teria graça, certo? Amigos são fundamentais em nossas vidas e HIMYM nos ensina isso!

Quem aí assistiu HIMYM? Aprendeu alguma coisa que eu não citei? Pode comentar!

Até a próxima, girls!

Comenta aqui, miga!

Você parece um sonho

Às vezes, quase sempre, você é bom demais pra ser verdade e eu acabo me beliscando pra saber se tudo isso é real.

E não é que é mesmo?

Por vezes no meio do dia, eu me pego com o pensamento bem longe, mas grudadinho em você. Fico lembrando de alguns momentos nossos e suspirando pelos cantos imaginando momentos que ainda não aconteceram, mas não são nadinha impossíveis de acontecerem. Porque quando se trata de nós dois eu não dúvido de mais nada, sempre me surpreendo a cada dia com o fato de que nós sempre seremos mais.

Eu o admiro tanto por tentar não deixar que a rotina nos embale numa maré de monotomia, mas eu vou te confessar uma coisa que foge de tudo o que eu já acreditei nessa vida: eu amo a nossa rotina. Jamais imaginei dizer essa frase a alguém, se bem que… eu nem acreditava em amor e hoje eu só te chamo de amor e me derreto a cada vez que você me chama de amor. É tão bobo, eu sei, mas todo esse clichê só fez sentido com você.

É como se eu estivesse esse tempo todo te esperando pra compreender algo que antes parecia loucura, ou melhor, é como se eu estivesse assistindo a um filme francês e de repente alguém me desse um óculos em que eu conseguisse ver a legenda. Bom, você é esse alguém e talvez o amor seja isso: alguém que te faça ver o sentido da coisa toda. E essa coisa toda são todos os clichês possíveis e acredite, eu achava isso tudo uma breguisse sem fim. E há quem diga que o amor nos cega, mas é completamente o contrário do que se ouve falar: o amor nos abre os olhos, nos faz enxergar beleza onde antes não se via. E nos faz ser a nossa melhor versão.

Eu, sua pequena, sou apaixonada por cada detalhe teu. E você, meu gigante, é muito melhor do qualquer sonho que eu já tive, pois os sonhos não são reais e você, ah, você é muito mais do que eu poderia sonhar.

Comenta aqui, miga!

Resenha: Cinquenta tons de liberdade (livro)

Cinquenta-tons-de-liberdade-maria-sabe-tudo

“Eu solenemente juro que irei te proteger e zelar preciosamente do fundo do meu coração por nossa união e por você”, ele sussurra, sua voz rouca.
“Eu prometo te amar fielmente, renunciando quem quer que seja, em tempos bons e nos maus, na doença ou na saúde, independentemente de onde a vida nos levar. Vou protegê-la, confiar em você, e respeitá-la. Vou compartilhar suas alegrias e tristezas e consolá-la em momentos de dificuldade. Prometo te amar e apoiar seus desejos e sonhos e mantê-la à salvo ao meu lado. Tudo o que é meu agora é seu. Eu te dou minha mão, meu coração e meu amor a partir deste momento, enquanto vivermos.”

E eu começo a resenha com este trecho ma-ra-vi-lho-so, porque sou dessas! Gente, o que foi isso? Um livro ou um tiro?! Não sei, tô loka! Hahahahaha.

Primeiramente, as resenhas dos livros anteriores estão aqui: Cinquenta tons de cinza e Cinquenta tons mais escuros.

Sinopse: O que para Anastasia Steele e Christian Grey começou como uma paixão avassaladora e carregada de erotismo evoluiu, em um curto espaço de tempo, para um sentimento mais profundo que transformou a vida do casal. Ana sempre soube que amar um homem com tantas nuances seria complicado, mas nem ela nem Christian tinham noção das dificuldade que enfrentariam para ficar juntos.

Mesmo assim, os dois estão se acertando: Ana torna-se mais segura a cada dia, e Christian lentamente permite-se relaxar e confiar nela. Em um crescendo de paixão, desejo e sentimento, tudo leva a crer que eles estejam caminhando para um desfecho digno de conto de fadas.

Mas ainda há contas a acertar com o passado.

Na resenha anterior comecei com um aiai, mega suspirante e bom, digamos que com este livro não foi uma reação diferente.

Confesso que no começo o livro tava bem parado, até mesmo com as cenas de sexo que como citei nas resenhas anteriores, se você não curte romance erótico: não leia. Apenas o ignore! E não é que esse danadinho me surpreendeu? Eu criei grandes expectativas em cima dele por conta dos acontecimentos do segundo livro e BOOM, o terceiro livro da trilogia começa super paradinho. Fiquei trise. Mas foi momentâneo, porque depois de um acontecimento foi uma bomba atrás da outra e eu não conseguia ficar quieta durante a leitura e eu precisei devorar ele para me sentir satisfeita!

Eu ri, chorei, senti raiva, fiquei boba e… me apaixonei! Como eu já esperava!

Este livro é o desfecho da história, então bom, vocês podem imaginar como vai ser o final. Como toda e boa história de romance. Ele não foge nadinha disso. Mas, há muito mais que isso. Nesse livro nós conhecemos um pouquinho mais sobre o Christian e é nesse livro que ele se encontra, que ele realmente se abre. Afinal, qual é nome do livro mesmo? Cinquenta tons de LIBERDADE. Mas, confesso que Anastasia se mostrou tão madura neste livro e tão… corajosa! Nunca pensei que diria isso sobre ela, mesmo ela insistindo nele, quando ele mesmo achava que não havia solução e que era um caso perdido.

Bom, vou para por aqui, é impossível não dar spoiler. É muuuuuuito difícil, gente!

Simplesmente: LEIAM! (Quem curte este tipo de leitura e claro, quem não vê problema em ler algo diferente, que na verdade, é igual a qualquer outra história de amor: com seus altos e baixos!).

Comenta aqui, miga!