Como transformar uma lata de leite em luminária?

Olá meninas lindas do meu coração! Já faz um tempo que eu venho namorando alguns DIY’s no Pinterest e isso é meio que uma novidade pra mim, pois estou utilizando ele há pouco tempo e venho tentando me adaptar a essa rede, já que por lá tem muuuitas inspirações bacanas!

Confesso que eu particularmente não tenho dom para criar coisas, sou péssima com isso, pois sou muito desastrada e geralmente acabo não gostando do resultado, mas esse DIY eu não tive como ignorar, pois eu AMO luminárias e AMO pisca pisca! Logo quando vi eu me apaixonei! Sim, foi amor a primeira vista! Haha e é claro, por ele parecer ser simples de fazer eu me interessei mais ainda!

Bora pôr a mão na massa? Vocês vão precisar de:

Lata de leite

Tinta em spray

Furadeira

E por último, mas não menos importante: PISCA PISCA! I ♥ pisca pisca!

Passo a passo:

1. Retire o rótulo da lata.

2. Utilizando a furadeira faça quantos buraquinhos você quiser pela lata.

3. Pinte a lata com a tinta em spray na cor que você preferir.

4. Espere ela secar e coloque o pisca pisca dentro da lata! Tchanannnnnnnnnnnnnn!

luminaria-de-lata-de-leite

Gente, essas imagens são lá do Pinterest, viu? O link ta aqui e lá tem o passo a passo em imagens. Bem simples de fazer!

E aí, gostaram?

Até a próxima, meninas!

Comenta aqui, miga!

Pós-término de namoro

break-up

Términos de relacionamentos fazem parte da nossa vida, se você nunca namorou ou namora e nunca terminou: você é a diferentona da vez! Porque eu como mera mortal não passei apenas por um término; já passei por dois!

A questão é a seguinte, se o namoro termina numa boa e ambas as partes chegam a essa conclusão de forma amigável, não há problema algum. Os dois seguem suas vidas e até conseguem manter uma amizade bem legal. Quando eu digo amizade, não quero dizer que os dois virem melhores amigos, eu acho que pra tudo tem limite e um dos dois pode acabar confundindo isso, afinal, eles já tiveram sentimentos mais intensos um pelo outro. E confundir a essa altura do campeonato é bem normal, pela questão da carência e tudo mais.

Mas, é normal que pelo término ter sido tranquilo, role um carinho e lá de vez em quando eles troquem mensagens do tipo “Oi, tudo bem? Como seus pais estão?” “Minha mãe tem perguntado de você” e como eu sei disso? Um dos meus términos foi mais ou menos assim. Claro que isso não se aplica a todos os términos, mas eu acho que é a melhor forma de romper um relacionamento.

Querendo ou não você teve uma história com a pessoa e em algum momento você foi feliz e aquilo foi o suficiente pra você. O melhor é não deixar que um término transforme o relacionamento num erro seu, pois você acabou aprendendo muito com ele, não adianta dizer que não, né?!

who-needs-him

Agora, quando as expectativas são elevadas e os dois não estavam na mesma sintonia: elaia! Isso acontece bastante, bem mais que o término onde os dois entram em consenso e, é o pior tipo de término na minha opinião. Tudo o que não é saudável acontece nesse término! A pessoa que não concordou com o término ou simplesmente não aceita o fato de ter sido “deixada”, passa por fases bem complicadas.

Seja qual for o motivo do término, se você não esperava por ele, a sua vida vira de cabeça pra baixo. Como eu sei? Eu já vi pessoas próximas a mim passarem por isso e mesmo que eu dissesse que aquilo foi o melhor pra elas, não adiantava, elas insistiam em tentar entender, elas não conseguiam enxergar que o relacionamento não tinha mais futuro, não faria sentido algum continuar criando expectativas em cima de uma pessoa que não tinha mais interesse em prosseguir com o relacionamento.

“Ah, mas eu nunca mais vou encontrar alguém como ele”, exatamente, se ele terminou com você, por que diabos você vai querer encontrar alguém como ele?! “Eu nunca mais vou namorar”, nunca é uma palavra muito forte miga, mas, eu te aconselho a dar um tempo em relacionamentos e pensar na sua felicidade, conquistar seus ideais, focar em si mesma, se valorizar e acima de tudo: praticar o amor próprio!  Acho que livros de autoajuda ajudam muito nessa fase! E sim, você tem todo o direito de passar pelas fases: negação, raiva, na bad e a bebedeira! Se isso for te fortalecer e te fazer enxergar as coisas com clareza mais pra frente: vai com tudo, miga! Só não vale beber e mandar mensagem pro ex, ok? OK!

Vocês tiveram algum término diferente dos dois que eu citei? Ou como superaram? Conta pra gente!

Até a próxima, girls!

Xoxo.

Comenta aqui, miga!

As nossas diferenças

as-nossas-diferencas-mariasabetudo

Eu amo as nossas diferenças.

Eu te conheci exatamente assim e eu sabia onde eu estava me metendo. Quer dizer, na verdade, você também sabia com quem estava lidando.

Lembro do dia em que te apresentei pra minha mãe e ela disse: “Você tem certeza que quer namorar com ela? Ela é difícil de lidar, viu?”. E eu não discordo dela. Mas você mesmo assim não desistiu de mim e aceitou, ali, o desafio de me desvendar.

E você conseguiu.

Você despertou em mim sentimentos que eu jamais imaginei que existissem em mim. Você fez de mim alguém melhor, me mostrou que pra ser feliz isso só depende da gente e da forma que enxergamos o mundo ao nosso redor.

E as diferenças onde entram nessa história?

Em nós.

Em cada pedacinho de nós dois. Somos duas metades completamente diferentes, mas que se completam. Isso a gente consegue comprovar só com o entrelaçar dos nossos dedos e ao nos encaixarmos perfeitamente quando deitamos de conchinha e colamos nossos corpos.

Eu amo cada detalhe teu que nos torna diferentes um do outro. Poderia passar horas e horas quietinha ouvindo você falar sobre os seus jogos e campeonatos. Ouviria também sobre as táticas que eu não entendo nadinha, mas eu entendo o quanto isso é importante pra você e eu me orgulho do que você é. E eu sei que você ouviria pacientemente sobre o meu dia e sobre todas as inspirações e afins a respeito do meu blog.

Os opostos se atraem e nós somos a prova disso, na verdade somos a prova de muita coisa e é exatamente por isso que eu te amo.

As nossas diferenças nos completam e é isso que importa.

Comenta aqui, miga!