Harry Potter versão Faroeste Caboclo

Hello pipous! Faz muito tempo que não sugiro coisas do youtube, né?! Até porque é muito raro eu parar para assistir alguma coisa no youtube.

Essa semana eu estava procurando coisas interessantes para assistir e tropecei em algo que de certa forma me intrigou: Faroeste Caboclo VII – Harry James Potter. Curiosa como sou, cliquei e me surpreendi muito!

Quem aí gosta de Legião Urbana e Harry Potter? Eles fizeram uma versão da música Faroeste Caboclo que conta a história de Harry Potter, pra quem gosta dessas duas coisas vai AMAR, sem dúvida alguma! Não conheço o trabalho dessa galerinha, mas é aquele ditado né: “mal conheço e já considero pakas” hahahahha!

Bora ouvir?

E aí, gostou? Conta pra maria! 🙂

Comenta aqui, miga!

#marialiterária: Resenha: Cidade dos Ossos

 

Cidade dos Ossos é o primeiro livro da série literária Instrumentos Mortais.

Sinopse: Clary Fray, 15 anos, decide passar a noite em uma boate muito conhecida em Nova York, e o maior de seus problemas provavelmente seria lidar com o ignorante segurança da porta, certo? Errado. Clary testemunha um crime, que só ela consegue ver.

Clary quer ligar para a polícia; quer gritar; quer chamar seu amigo, Simon, que ficou na boate enquanto ela teve a infeliz ideia de perseguir o menino bonitinho de cabelo azul…

Mas como explicar a eles que ninguém mais na rua enxerga os assassinos, apenas ela? Como provar que houve um crime se não há rastro algum do sangue do garoto morto — aliás, era mesmo um menino?

Mas ela nem tem tempo de tomar uma decisão; logo os assassinos se apresentam para a estranha mundana que não deveria vê-los, mas vê. Jace, Alec e Isabelle são Caçadores de Sombras, guerreiros cuja missão é proteger o mundo que conhecemos de demônios e outras criaturas sobrenaturais. Vampiros que saem da linha, lobisomens descontrolados, monstros cheios de veneno? É por aí mesmo. E depois desse primeiro contato com o Mundo de Sombras, e com Jace — um Caçador que tem a aparência de um anjo, mas a língua tão afiada quanto Lúcifer —, a vida de Clary nunca mais será a mesma.

Eu sempre fui apaixonada pelo filme e quando saiu a série Shadowhunters eu fui correndo assistir, mas, tenho que admitir: ambos não são nada comparados aos livros! Até porque a série foge MUITO do que é contado nos livros e por este motivo perdi a vontade de continuar assistindo a série 🙁

Mas, eu vim aqui pra falar dessa série literária ma-ra-vi-lho-sa! Eu ganhei os seis livros de dia dos namorados e logo que recebi já comecei a ler, porque desde que assisti o filme tive muita vontade de ler os livros.

Clary é uma garota comum, como qualquer outra garota de 15 anos. Isso até ela testemunhar um assassinato incomum em uma boate, a vida de Clary muda completamente a partir desta noite.

Ela começa a enxergar o mundo com outros olhos e descobre que sua mãe escondera quem ela realmente era, mas, sua mãe some e sua casa é destruída. Como Clary vai descobrir a verdade sobre a sua mãe e sobre seu passado?

Cidade dos Ossos é um livro de fantasia leve, muitas citações sobre demônios me lembram Supernatural e com toda certeza do mundo isso me fez amar ainda mais esta série literária! Eu recomendo muito pra quem curte este tipo de leitura.

A sinopse já fala muito sobre o livro e seu falar mais eu vou soltar uns SPOILERSSSSSS, sabe como é né? Hahahhaha

Alguém aqui já leu ou assistiu filme/série?

Comenta aqui, miga!

Antes de te amar eu te odiava

Eu cresci ouvindo a minha mãe dizer: onde há ódio, há amor. Confesso que não levava muito a sério e geralmente eu conciliava essa frase com algo que eu odiava ao extremo: mamão. Oras, como eu posso amar mamão se eu odeio essa fruta com todas as minhas forças? Pela primeira vez minha mãe estava errada sobre suas teorias.

Até eu te conhecer.

Eu não fui com a sua cara, não suportava ouvir a sua voz. Todas as vezes que você abria a boca pra fazer piadinhas e falar qualquer besteira (era só isso que você fazia), eu sentia vontade de sair correndo. E engraçado que eu tinha uma amiga em comum que também não te suportava, então eu não estava errada, né? Você era insuportável.

Não tive mais contato com você, na verdade eu nem sentia a sua falta, era como se você nunca tivesse existido. Mas, por ironia do destino eu fiz um novo amigo que também era seu amigo. Chega a ser cômico, mas como já tinha passado algum tempo eu resolvi te dar uma segunda chance.

E não é que a minha mãe tinha razão?

Eu comecei a te ver com outros olhos, por mais incrível que pudesse parecer você era legal. Começamos a sair juntos, você me ensinou a andar de skate e as coisas fluíram. No começo foi difícil acreditar que você não era aquela pessoa que eu odiava, você era muito mais do que aquela imagem que eu tinha criado de você.

Eu ainda te odeio um pouquinho quando você me tira do sério, mas nada comparado ao quanto eu te amo.

Comenta aqui, miga!