Saudade

a8274731-7ed0-4292-a3b1-11a74d515e97

Já se passaram dois anos e eu ainda tenho a sensação de que te entreguei o presente de natal ontem mesmo. Você, todo durão conteve o sorriso e agradeceu com um abraço frouxo. Às vezes tenho a impressão de que você não está tão longe, mas eu sei que isso não passa de uma impressão.

Desde que você se foi muitas indagações surgiram e umas delas é por que eu não disse que te amava?

Bom, essa não é tão difícil de responder e adivinha só: você me ensinou a não demonstrar fraqueza e, o amor é uma das maiores fraquezas. Das coisas que você me ensinou com certeza tirei 10 no assunto ser durona, mas confesso que quando eu te perdi descobri que eu não era tão forte quanto eu pensava e que chorar não é o fim do mundo, mas dói.

Hoje quando eu lembro da forma como você se referia a você mesmo quando conversava comigo eu percebo que você também não era tão durão assim não, né? Você falava: “Filha, o pai trocou de carro”. Você era carinhoso de uma forma um pouco enrustida, mas era o seu jeito e a gente se entendia do nosso jeito. Porque do seu jeito também era o meu jeito.

E aquele papinho de que filho era pro mundo? Uma das maiores mentiras já ditas por você, até porque alguém aqui não podia nem namorar! Mas, mesmo que você tenha me ensinado a jamais dar o braço a torcer eu te dou razão! Eu não deveria ter perdido meu tempo com algumas pessoas.

Uma coisa que eu não consigo esquecer é a última vez que te vi e você deixou o seu orgulho de lado ao pedir que eu voltasse pra cidade e morasse com você, talvez fosse um sinal, mas eu disse não. Um dos meus maiores arrependimentos, pois eu vivo com o “E se…”.

Mas lembra que nesse mesmo dia você soltou um sorriso bobo porque eu pedi mais um abraço na hora de dar tchau? É a minha melhor lembrança de você: sorrindo, mesmo tentando esconder o quanto aquilo era importante pra você.

Você nunca foi do tipo pai herói e de longe foi o pai perfeito, assim como eu, filha, nem sempre te orgulhei e eu acho que é assim mesmo na vida real, pois somos humanos e estamos longe da perfeição.

Mas eu quero deixar registrado o quanto eu sinto falta das suas ligações sem motivo e das tardes em que assisti TV Senado com você, ali, quietinha sem entender nada.

E sabe do que eu tenho mais saudade? Dos nossos silêncios, porque a companhia um do outro era tudo o que precisávamos. Era suficiente.

E ah, pai, eu te amo!

 

 

24 anos, adora sinceridade e fala o que lhe dá na telha.

Talvez cê curta

104 Comentários

  1. Poxa… chorei. Sério.
    É nisso que penso as vezes com meus atos…”e se”…
    Não consigo imaginar como é essa dor, ainda não passei por uma perda tão grande assim…

    Bjim…

  2. Sté, seu texto me deixou muito emocionada. Fico triste que seu pai não esteja mais aqui, mas, como não temos controle sobre essas coisas, as lembranças de bons momentos preenchem um pouquinho do vazio que fica. Você me deu um empurrão agora para eu mandar uma mensagem para o meu pai – nós temos uma relação um pouco estranha (basicamente só conversamos quando eu volto para o interior para visitar a família) e há tempos eu penso que é algo que preciso mudar, mas que nunca mudo.
    Infelizmente eu não tenho palavras de conforto para você, mas achei linda a forma com a qual você colocou esse sentimento tão complexo em palavras. E, bom, deixe de pensar nos “E se” da vida – eles não mudam nada mesmo.
    Beijos,
    Bru
    http://www.moderando.com

    1. Bru, que linda! Amei seu comentário, se eu pudesse te pediria um abraço ou até mesmo roubava um! Haha. E referente ao seu pai, eu acho bacana você tentar se aproximar dele, depois que o meu pai faleceu eu me aproximei mais da minha mãe, pois eu senti que eu não tentei ser mais presente como filha e que não demonstrava tanto afeto por nenhum dos dois e é muito ruim perceber isso quando é tarde demais. Hoje eu abraço muito minha mãe, ainda mais que não moro na mesma cidade que ela e quando a vejo encho muuuito ela de beijos e abraços, até digo que amo ela, mas ela é mais durona que e eu e não sabe reagir a esse tipo de coisa. Mas, eu tento! Os nossos pais foram criados dessa forma e nos criaram da mesma forma, mas, nós podemos ser diferentes! <3

      1. Sim, Sté, você tem toda a razão. Não faz sentido não demonstrarmos nossos sentimentos com as pessoas mais importantes da nossa vida, né? E abraço virtual também conta? Um muito apertado pra você! Haha. <3

  3. Meu pai já partiu há uns anos ainda eu era muito nova! Gostava que ele estivesse aqui para me contar mais histórias, as quais hoje eu compreenderia melhor!
    Me tocou muito! Beijinhos grandes dessa força que apazigua um pouco a saudade!
    Coco and Jeans by Marisa

  4. Estou chorando muito com esse texto, Sté!! Esse ano eu quase perco meu pai, ele ficou 13 dias em coma induzido, foi os piores dias da minha vida. Eu vi que é uma dor muito grande, eu já perdi uma pessoa que eu amava muito, era como meu segundo pai, meu tio. E vejo como minha prima sofrer com a perda do meu tio, mas vejo, que temos que guardar apenas boas lembranças. Porque quem nós amar nunca vai querer ver a gente sofrendo.
    Beijos,
    http://www.dosedeilusao.com

  5. Que lindo seu texto, me emocionei com ele! Não consigo nem imaginar a dor de perder um pai, mas pelo menos você tem bons momentos para se lembrar do seu, no final são esses momentos que ficam pra sempre.
    Beijos

  6. Stézinha, que texto mais lindo e dolorido. Ele é leve, doce, mas deixa o coração pequininho. Ele devia ser um cara incrível!
    Queria te por num potinho. 🙁

    Esteja bem, apesar de. Que a saudade se transforme em algo bonito, como essas palavras que você compartilhou com a gente.

    Beijo enorme

  7. Que texto mais lindo! Tenho certeza de que ele sempre soube desse amor e, de onde estiver, deve estar recebendo todas as suas energias positivas sobre ele <3

    beeeeijo
    beinghellz

  8. Não sei o que dizer .
    Seu texto é incrível mas o motivo dele é triste ..
    As vezes que o “e se ” é a coisa mais torturante que existe . Porque muito provavelmente se você tivesse ido morar com ele nesse exato momento talvez estivesse se questionando “e se eu não tivesse ido” .
    Espero que você esteja bem , ele com certeza está olhando por ti de algum lugar lindo ♥

  9. Seu texto me fez lembrar muito do meu pai, estou a ponto de chorar aqui na faculdade, porque a saudade que sinto dele é muito grande. =/
    Perdi meu pai no começo desse ano e lendo cada momento no seu texto,me fez lembrar dos bons momentos que vivi com meu pai e a saudade veio intensamente em mim.
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

  10. Sté, quanta sinceridade, singeleza, emoção, intensidade e lição em uma só texto! Incrível! Fiquei realmente abalada lendo e espero que essa saudade só vire masi carga reflexiva e bela para acompanhar os seus caminhos. Você é uma pessoa linda! É aí, no meio desses pontos, que reparamos que o amor é a maior força e a maior fraqueza, mas que se tratarmos como fraqueza a ponto de não ter a força para fazer o verbo que é amar, é aí que enfraquecemos ainda mais, não é? Adorei mergulhar em tanto do seu coração.

    http://www.semquases.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *